today 777 baixar -Dialogar com o passado, o futuro e o presente é um dos objetivos da exposição “Rios de recordações:

Exposição em Belo today 777 baixar -Horizonte narra luta e resistência

Dialogar com o passado,çãoemBeloHorizontenarralutaeresistêtoday 777 baixar - o futuro e o presente é um dos objetivos da exposição “Rios de recordações: (en)cantos das lavadeiras de Almenara”, aberta à visitação no Memorial Vale, em Belo Horizonte, até o dia 31 deste mês. Na mostra, imagens, vídeos, instalações, gravuras e xilogravuras contam a história de diversas mulheres que, a partir de um trabalho manual, realizavam a lavagem de roupas nas águas do Rio Jequitinhonha.

Continua após publicidade

A exposição é um trabalho da artista e pesquisadora Jéssica Marroques, que resgatou, a partir de sua dissertação de mestrado, representações iconográficas que refletem as lavadeiras. Com isso, vários aspectos foram levados em conta na hora da construção do material artístico, das cores de roupas que elas utilizavam aos orixás e santas que regiam os seus trabalhos.

:: Carnavalesco inaugura a exposição &39;Corpo Popular&39; em composição na Central do Brasil (RJ) ::

A proposta de Jéssica é também popularizar uma história que, segundo ela, por muitas vezes é contada em lugares de difícil acesso, como a própria universidade. Para ela, a exposição é uma forma de traduzir seu trabalho e suas memórias, como uma pessoa que cresceu ouvindo e vivenciando, de perto, a atuação das lavadeiras.

A importância da memória

Além de apresentar o trabalho exercido por elas, a mostra também projeta a importância do Coral das Lavadeiras de Almenara, que surgiu há 32 anos a partir de momentos de escape diante da rotina exaustiva debaixo do sol a qual elas estavam submetidas.

“É um trabalho muito violento com o próprio corpo. Muitas mulheres ficam com lesões, principalmente na mão, na coluna, por conta da posição de trabalho que é bem desconfortável. E aí o canto vem como uma forma de aliviar esse trabalho e de brincar, soltando os versinhos ali no meio das prosas”, conta Jéssica, que viu no coral uma de suas inspirações para pesquisar o trabalho das lavadeiras.

:: DF: Festival de cultura indígena reúne artistas dos seis biomas do país no Museu Nacional ::

Hoje, organizado e com quatro álbuns gravados, o coral remonta um histórico de luta e resistência feito por essas mulheres, que, já na década de 1990, reivindicavam por uma lavanderia coletiva na cidade. Atualmente, Almenara conta com duas lavanderias comunitárias, o que, para Jéssica, representa um grande avanço trabalhista.

Retomar toda essa trajetória, segundo a artista, é o grande objetivo da exposição. “É como se fosse uma relação de persistência da memória, de como que a gente consegue deixar essas memórias vivas no presente para que elas resistam no futuro”, explica a pesquisadora.

Fonte: BdF Minas Gerais

Edição: Larissa Costa


Relacionadas

  • Povo Xakriabá acusa PM de matar indígena em MG: &39;Ele levou um tiro no peito e morreu na hora&39;

  • MIS do Paraná celebra trajetória da fotógrafa Lina Faria com exposição inédita

  • Haddad critica Zema e diz que governo Lula quer encontrar solução para dívida de Minas

Outras notícias

  • Para 63% dos brasileiros, data do golpe militar de 1964 deve ser desprezada, diz Datafolha

  • Descomemoração dos 60 anos do golpe civil-militar no Brasil

  • Obras multimídia sobre crime da Samarco são lançadas neste sábado (24) em Mariana (MG)

BdF
  • Quem Somos

  • Parceiros

  • Publicidade

  • Contato

  • Newsletters

  • Política de Privacidade

Redes sociais:


Todos os conteúdos de produção exclusiva e de autoria editorial do Brasil de Fato podem ser reproduzidos, desde que não sejam alterados e que se deem os devidos créditos.

Visitantes, por favor deixem um comentário::

© 2024.cc777sitemap